sexta-feira, 11 de março de 2011

TSUNAMI NO JAPÃO



Hoje dia 11/03/2011, aconteceu o primeiro sinal de que o fim realmente pode ser em 2012.

No Japão muitas cidades foram atingidas por uma serie de replicas de tremor onde em menos de 1 hora foi testemunho 10 replicas do termor. Este forte terremoto de magnitude 8,9 atingiu nesta sexta-feira (11) a costa nordeste do Japão, segundo o Serviço Geológico dos EUA (USGS), gerando um tsunami (onda gigante com potencial destrutivo) de até dez metros de altura que varreu a costa do país, matando pelo menos 337 pessoas e causando destruição.

O abalo provocou um tsunami que alcançou áreas da cidade japonesa de Sendai, na ilha de Honshu, a principal do arquipélago japonês.

O terremoto sacudiu com força os edifícios de Tóquio. Alarmes foram disparados nos prédios, houve correria, e as linhas telefônicas ficaram bloqueadas.

O Shinkansen, o trem-bala da capital japonesa, e os dois principais aeroportos ficaram temporariamente fechados.

As autoridades japonesas pediram aos moradores da capital que fiquem no centro da cidade e que não tentem chegar a suas casas se vivem nos arredores. O transporte coletivo entrou em colapso na capital.

A parede de água entrou quilômetros adentro pela costa da ilha de Honshu, arrastando casas e transformando os portos em cenários de desoladora devastação.

Nas áreas rurais próximas, a onda varreu as frágeis casas de madeira como se fossem de papel, e em questão de minutos devorou centenas de hectares de plantações.


O presidente da Associação Miyagui Kenjinkai do Brasil, Koichi Nakasawa, informou que pelo menos 1.200 brasileiros moradores da Província de Miyagui, no Japão, foram afetados pelo terremoto e tsunami que atingiu a região na madrugada desta sexta-feira (11).


O governo japonês ordenou na manhã desta sexta-feira (11) que 2.800 pessoas que moram perto da usina nuclear de Fukushima deixem suas casas imediatamente. O porta-voz do governo japonês, o chefe de gabinete Yukio Edano, disse que o país emitiu um alerta de estado de emergência depois que o sistema de refrigeração da usina falhou. Mas, segundo ele, não houve vazamento de radiação e não há perigo imediato. A medida é uma precaução.
 Um nível de radioatividade mil vezes superior ao normal foi detectado em uma usina nuclear do nordeste do Japão, após o terremoto que abalou o país na sexta-feira, informou a agência Kyodo, citando uma comissão de segurança. O nível de radioatividade registrado neste sábado (horário local) na sala de controle do reator número 1 da central nuclear de Fukushima é mil vezes superior ao normal, informou a Kyodo.

 O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, pediu à população que observe um raio de 10 km de isolamento em torno da central nuclear de Fukushima, e admitiu o risco de vazamento, segundo a agência Jiji Press.  A TV estatal NHK revelou que o nível de radioatividade fora da central nuclear é oito vezes acima do padrão, mas não representa qualquer risco à saúde da população. A central Fukushima 1, que abastece de energia parte de Tóquio, está situada a cerca de 250 km ao norte da capital japonesa.

Uma segunda usina nuclear japonesa, situada na região de Fukushima, apresenta problemas de refrigeração após o maior abalo da história no Japão, informou a imprensa japonesa neste sábado, citando a companhia administradora.

Três reatores dessa instalação perderam parte de sua capacidade de resfriamento, indicou a companhia Tokyo Electric Power (Tepco).  A central Fukushima 2 está localizada a 12 km da Fukushima 1, onde a sala de controle de um reator registrou pela manhã um nível de radioatividade mil vezes superior ao normal, segundo a agência de notícias Kyodo, que citou uma comissão de segurança.





Postagens populares